(OP) O impacto que a Copa gera à economia do Ceará

Voltar
Em 2011, ao Ceará vieram 2,8 milhões de turistas; desses, cerca de 220 mil são estrangeiros

A visibilidade que o Ceará ganha a partir da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014, deve gerar muito impacto na economia do Estado, especialmente no fluxo turístico que, no ano de 2011, teve só 220 mil turistas estrangeiros

Fortaleza receberá três jogos da Copa das Confederações em junho de 2013. A confirmação da capital cearense como sede, anunciada ontem pela Fifa e Ministério do Esporte, é comemorada por todos os setores econômicos porque, mesmo sem os dados, sabe-se do impacto que esse evento e a Copa do Mundo 2014 trará para economia do Estado, não apenas durante a realização deles mas, especialmente, no futuro. Em 2011, o fluxo do turístico teve apenas 220 mil turistas estrangeiros, segundo a Secretaria de Turismo do Estado (Setur).

O secretário especial da Copa, Ferruccio Feitosa, diz que o impacto será significativo. Ele explica que ainda não foi feito um estudo sobre a Copa das Confederação. Mas, sobre a Copa do Mundo, estima-se que trará 3,6 milhões de turistas ao Brasil, entre junho e julho de 2014, agregando cerca de R$ 9 bilhões.

Ferruccio avalia que, considerando que a estimativa para Fortaleza é da vinda de 700 mil pessoas, representaria um acréscimo médio de cerca de R$ 1,7 bilhão para o Estado. “Com a garantia de um jogo da Seleção Brasileira e outro da Espanha, acredito que esses números possam ser maiores”. Para ele, a seleção da Espanha será cabeça-de-chave do outro grupo.

Para o vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros, o Ceará já estará na mídia e isso vai influir positivamente e gerar retorno até a Copa do Mundo de 2014.

Régis frisa que a grande diferença que a Copa das Confederações e a Copa do Mundo vão deixar são os legados da infraestrutura, das obras de mobilidade urbana que forem feitas e da capacitação. “E o maior legado de todos é o da imagem, porque o mundo passa a conhecer o Brasil e o Ceará”. Ele ressalta que “somos pequenos no turismo internacional e pouco conhecidos. O espanhol conhece mais a República Dominicana do que o Brasil”. De acordo com Medeiros, o País só recebe cerca de cinco milhões de turistas estrangeiros/ano e 40% vêm da América do Sul.

O presidente do Fortaleza Convention Bureau, Colombo Cialdini, também destaca a importância da visibilidade para desenvolver o turismo e a economia e exagera nos efeitos da Copa do Mundo para o Estado. “Será o maior acontecimento após a descoberta do Ceará”, afirma. Ele salienta que o evento será um divisor de águas, o Ceará antes e depois da Copa. “E vamos torcer para que caia no sorteio só países europeus, porque somos o ponto mais próximo de Lisboa”, afirma, lembrando que, além do voo diário da TAP - Lisboa-Fortaleza-Lisboa, outros voos poderão ser adicionados.

Medeiros e Cialdini destacam que o mundo vai passar a conhecer as belezas cearenses, sol, praia e água morna (26°C) o ano inteiro. Enfatizam que a Copa das Confederações será um grande teste.

A receita do turismo cearense em 2011 representou quase 11% do Produto Interno Bruto (PIB). Considerando apenas o segmento Serviços, a participação passou de 13,9% para 15,2%. Estudo da Setur-CE mostra que, em cinco anos, o impacto do turismo na economia cearense passou a casa do R$ 7,8 bilhões.

E um dos principais responsáveis pelo incremento foi o número de turistas no Ceará, que teve um aumento de quase 800 mil pessoas. Foram 2,8 milhões, sendo cerca de 220 mil estrangeiros. Eles têm uma média de gastos bem superior ao visitante nacional. Enquanto o turista brasileiro gasta cerca de R$ 1,7 mil, o de outros países gasta em torno de R$ 3 mil.

Como

ENTENDA A NOTÍCIA

Não há dúvida do impacto que os eventos da Copa das Confederações e Copa do Mundo 2014 trarão para o turismo, atividade econômica que movimenta 54 outros setores, direta ou indiretamente.

SERVIÇO

Apresentação de projetos de apoio ao receptivo internacional em Fortaleza
Quando: hoje, às 10 horas
Onde: sede da ABIH-CE

 

Saiba mais

 

O consultor em aviação comercial e turismo internacional Fernando Holanda, apresenta hoje na ABIH-CE projetos de apoio ao receptivo internacional à cidade de Fortaleza das Copas.

Tratam do processo de captação de voos charteres internacionais de Moscou, Istambul, Kiev,Varsóvia, Toronto e países sul-americanos. Há projeto de implantação do Corredor Turístico da Região Metropolitana de Fortaleza, abrangendo os municípios entre Aracati até Paracuru.

O Corredor Turístico da Região Metropolitana de Fortaleza terá plataformas de Tecnologia da Informação de ponta, que facilitará a comunicação entre visitantes evitando a barreira da língua, a comercialização de serviços turísticos, eventos paralelos e corporativos por call centeres internacionais e serviços de telefonia móvel com smartphones.

Fonte: 

Jornal O POVO

Postado por: 

Dégagé