(DN) Polo do Eusébio aguarda infraestrutura

Voltar

Governo já protocolou as primeiras sete indústrias do polo que pretendem produzir no Ceará

As sete primeiras empresas que irão compor o Polo Industrial do Eusébio já estão protocoladas no Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico (Cede) e aguardam apenas a infraestrutura da área ficar pronta, para começarem a se instalar.

São empresas dos setores de medicamentos, cosméticos, artigos hospitalares e de alimentação parenteral e de diagnósticos, que agora intensificam as negociações com o governo do Estado, para fixarem suas bases no Ceará e iniciar a produção. Entre elas estão a cearense Isofarma e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Bio Manguinhos, empresa do grupo Fiocruz, fabricante de vacinas a partir de células vegetais, que juntas irão ocupar 32 dos 50 hectares iniciais do Polo Industrial do Eusébio.

Segundo o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Luís Fernando Pessoa de Andrade, as negociações com o governo do Estado estão avançadas e o momento é de avaliação do perfil das empresas que pretendem se instalar e de definição das ações para prover a área da infraestrutura (água e saneamento básico, energia, telefonia e acesso viário) necessária.

Para tanto, representantes da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Saúde e do Sindicato das Indústrias Químicas, farmacêuticas e de Destilação de Petróleo do Ceará (Sindiquímica) estiveram reunidos no fim da tarde de ontem, com o diretor de Desenvolvimento Setorial da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Eduardo Diogo, para pleitearem agilidade na infraestrutura do Polo do Eusébio.

Segundo Diogo, o governo do Estado está negociando desapropriações com cerca de dez proprietários de terrenos na área, com quem esperam acertar tudo até o fim do ano. Conforme disse, a orientação do governador Cid Gomes é no sentido de agilizar os trabalhos, para que até julho de 2011, o Polo entre em operação. Conforme o diretor da Adece, o projeto de implantação do novo polo já foi licitado, juntamente com as obras da via de ampliação da via que irá ligar a lagoa da Precabura à CE-040, no município do Eusébio. Ainda de acordo com ele, os estudos dos impactos ambientais já teriam sido pleiteados junto à Semace. Já as fontes de fornecimento de água bruta e potável estão sendo negociadas na Cogehr e Cagece, respectivamente, e a energia, com a Coelce. "Tudo está sob a administração da Seinfra", disse.

CARLOS EUGÊNIO
REPÓRTER

Fonte: 

jornal DIÁRIO DO NORDESTE

Postado por: 

Dégagé