(DN) Apicultores de Icó agregam valor ao mel

Voltar
Em nova apresentação, o mel em sachês amplia as oportunidades de negócios para os pequenos produtores, organizados por meio de associação, com apoio do CVT

Produtores da agropecuária podem tornar-se mais competitivos com uso de novas tecnologias

Icó. A aquisição de uma máquina de embalar mel em sachê ampliou a renda de pequenos apicultores deste Município, localizado na região Centro-Sul do Ceará. O equipamento foi comprado com recursos próprios de alguns produtores da Associação dos Apicultores de Icó, que acreditam na viabilidade econômica da atividade. Os primeiros resultados são positivos e os produtores estão animados ante a perspectiva de ampliação das vendas para o comércio local e para a merenda escolar na rede municipal.

A máquina está instalada no Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Icó, entidade parceira da Associação dos Apicultores. Após treinamento dos apicultores e contratação de dois jovens que operam o equipamento, a unidade começou a funcionar neste mês, com produção diária. É a única unidade de embalagem em sachê da região. "A associação não possui sede própria e o CVT de Icó disponibilizou espaço para instalação do equipamento", explicou o coordenador do CVT, João Anselmo dos Santos. "A produção de mel em sachê vai agregar valor ao produto, ampliando a renda dos produtores".

O clima é de otimismo entre os apicultores. Há pelo menos cinco anos praticamente não havia produção de mel de abelha no Município. Alguns apicultores estavam sem treinamento, isolados, produzindo de forma errada e, obtendo, portanto, baixa rentabilidade. Após a criação da Associação dos Apicultores de Icó, o quadro começou a mudar para melhor. Além da parceria do CVT, o apoio da Secretaria de Agricultura do Município foi fundamental para o incremento da atividade econômica de base familiar.

Parte da produção passou a ser comercializada para a merenda escolar e para o Programa de Aquisição de Alimento pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Atualmente, cada produtor cadastrado pode comercializar até R$ 4.500,00 por ano. O preço do produto no mercado regional também é animador. O quilo do mel é vendido por R$ 7,50.

Fonte de renda

A ampliação da atividade a partir de 2007 permitiu lucro aos apicultores. Parte do capital foi investida para a aquisição da máquina de embalagem de sachê por R$ 23 mil. A Associação dos Apicultores de Icó tem 80 sócios, mas apenas 30 estão ativos. "É um grupo que acredita no sucesso da apicultura como geradora de fonte de renda complementar", explica João Anselmo Santos. Neste ano, a produção de mel de abelha deve chegar a 12 toneladas.

O apicultor, Humberto Alves Brito, disse que está motivado e destacou a importância da atividade para a preservação ambiental. "Ajuda a preservar a mata nativa e amplia a consciência ecológica entre os produtores rurais", disse. Brito começou a criar abelhas em 2006 e hoje está com 70 colmeias, mas pretende ampliar para 120 unidades. Uma das maiores áreas produtoras do Município é o Sítio Coelho, na serra que limita Icó com o Rio Grande do Norte. É uma área ainda bastante preservada de mata nativa, com florada silvestre anual de marmeleiro, mufumbo, aroeira, cedro, angico, juazeiro, cipós, baraúna e catingueira.

O presidente da Associação dos Apicultores de Icó, Joaquim Pereira de Souza, é um dos produtores animados com atividade. "A nossa expectativa é de crescimento", disse. Souza foi um dos sonhadores do projeto de produção de mel de abelha há 10 anos e agora assiste ao crescimento da apicultura no Município.

MAIS INFORMAÇÕES
Centro Vocacional
Tecnológico de Icó, Rua Ilídio
Sampaio, 2151, Centro
Telefone: (88) 3561. 4149

Fonte: 

jornal DIÁRIO DO NORDESTE

Postado por: 

Dégagé